YoutubeFacebook

Mensagens

NÓS SOMOS A FAMÍLIA DE JESUS

 “Porque qualquer que fizer a vontade de meu Pai celeste, esse é meu irmão, irmã e mãe” (Mateus 12:50).

 
De todas as possibilidades que Cristo tinha para vir ao mundo, Ele escolheu vir através de uma família, nascer como uma criança, crescer e conviver com seu pai, sua mãe e seus irmãos. O evangelista Mateus, no capítulo 13 verso 55 nos informa inclusive quais eram o nome de seus irmãos: “Tiago, José, Simão e Judas”. No versículo seguinte, fala ainda sobre as “todas as suas irmãs”, como sendo várias. E esta família esteve sempre presente no seu ministério. Na crucificação, Maria estava aos pés de Jesus. Após a ressurreição e ascensão de Cristo, Tiago, irmão do Senhor, se destaca como um dos líderes da Igreja Primitiva (Atos 15:13), sendo autor de uma das epístolas bíblicas.
 
O texto de Mateus 12, apresenta um desses momentos da família terrena de Jesus em participar de seu ministério. Cristo estava em uma casa que, de tão cheia, não havia como entrar e sair com facilidade. Havia em todas as portas e janelas pessoas ávidas por ouvir os ensinamentos do Reino dos Céus. Foi quando alguém informou o mestre: “Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem falar-te” (Mateus 12:47). Ao ouvir essas palavras, Jesus traz uma grande lição: nós fazemos parte de uma família maior, que é a IGREJA.
 
Vivemos em dias que a família tem sido fortemente atacada por diversas partes. Nunca antes a família foi tão perseguida como hoje. Porém, a família continua sendo um Projeto de Deus. E, para fortalecermos nossa família, precisamos aprender com a família maior. Há alguns sentimentos que fazem parte da Igreja que devem fazer parte também de nosso lar.
 
I. Sentimento de Comunhão – A Bíblia fala diversas vezes na Unidade que a Igreja deve viver. O apóstolo Paulo chega a escrever: “completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento” (Filipenses 2:2). E esse mesmo sentimento deve fazer parte do nosso lar. O melhor meio para a comunhão chama-se diálogo. O diálogo é o óleo que lubrifica as engrenagens dos relacionamentos. Pais devem aprender a conversas com seus filhos. E os irmãos entre si. Uma família forte é aquele que tem o senso de que tudo o que possuem é comum, tanto as lutas e desafios, quanto as vitórias.
 
II. Sentimento de Edificação – Um dos propósitos básicos da Igreja é a edificação mútua. A Bíblia orienta: “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria” (Colossenses 3:16). Deus mostra claramente nas Escrituras da responsabilidade dos pais na educação espiritual de seus filhos, no dia a dia: “tu as inculcarás [as palavras da lei] a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te” (Deuteronômio 6:7). Semelhantemente, os pais podem aprender com seus filhos no convívio diário. Quando somos mutuamente edificados, a família se torna mais forte.
 
III. Sentimento de Adoração – No princípio da Igreja Cristã, não havia templos. A Igreja se reunia de casa em casa. O culto a Deus deve fazer parte de nossa vida. A Bíblia nos orienta que são necessárias apenas duas ou três pessoas reunidas para realização de um culto. E toda família possui mais de duas ou três pessoas. Uma jóia preciosa que tem sido resgatada por muitos em nossos dias chama-se Culto Doméstico. Mas por causa da correria cotidiana, muitos ainda não possuem esse costume. O Culto Doméstico é a melhor ferramenta para o fortalecimento da família . Mesmo que seja breve, apenas a leitura de um versículo e uma oração. E, tendo esse sentimento, nossa família estará mais fortalecida e preparada para qualquer adversidade que surgir.
Igreja Presbiteriana de Manhuaçu
Praça 5 de Novembro 406 . Centro . Manhuaçu . Minas Gerais
Telefone: 33. 3331.1055
w3vision